Linkbão Oi Torpedo Click Jogos Online Rastreamento Correios Mundo Oi oitorpedo.com.br mundo oi torpedos mundo oi.com.br oi.com.br torpedo-online Tv Online torrent Resultado Dupla Sena Resultado Loteria Federal Resultado Loteca Resultado Lotofacil Resultado Lotogol Resultado Lotomania Resultado Mega-sena Resultado Quina Resultado Timemania baixa-facil Link-facil Resultado Loterias

sexta-feira, 19 de março de 2010

Crítica: O Livro de Eli


Depois de assistir O Livro de Eli, uma pergunta não me saiu da cabeça: como pode um filme ser tão ruim? Nem com muita fé este roteiro poderia ficar bom.

Denzel Washington é o novo “salvador do mundo”, “a última bolacha do pacote”, pegando emprestada a função que geralmente é exercida por Will Smith. Ele é Eli, um sujeito à procura de sossego, mas que, por portar a última Bíblia da humanidade, é perseguido por um grupo de pessoas que acha que, ao possuir “a palavra”, pode dominar o mundo (!). Eli ruma para o oeste, seguindo uma orientação que lhe foi dada por uma inexplicável voz (!!). A trama se passa trinta anos após uma guerra – qualquer uma, não importa – que acabou com a camada de ozônio, fato que possibilitou uma entrada absurda de luz no planeta, além do consequente super aquecimento global.

O filme inicia-se como Eu Sou A Lenda, com Eli vagando por uma cidade devastada, solitário. A incômoda fotografia sépia é utilizada constantemente, com muita poeira em todos os cenários e personagens sujos, mas nunca sem estilo. Eles usam roupas que os fazem parecer mendigos vestidos por Yves Saint-Laurent.

Em seguida, o longa toma contornos de O Código Da Vinci às avessas, com o mistério – como se houvesse algum – a ser desvendado sobre o tal livro. A esperança da humanidade é Denzel Washington, uma espécie de cidadão de Fahrenheit 451 (coitado do Truffaut).

Enquanto o chefe do grupo malvado manda queimar O Código Da Vinci, entre outros livros, Eli profere palavras bíblicas a torto e a direito. Haja fé em tanta bobagem! Aliás, um dos únicos momentos agradáveis que o filme proporciona é quando o livro de Dan Brown é sentenciado à fogueira – desejo que muitos têm vontade de realizar – e quando, numa simpática cena com um casal de velhinhos perigosos encontrado na "via sacra", toca ao fundo a música Ring My Bell, numa vitrola. E só.

No mais, o que o espectador irá encarar na sessão será uma infinidade de cenas de luta, com Denzel enfiando a faca em dezenas de capatazes de Gary Oldman (Carnegie, o chefe do mal) e Mila Kunis desfilando seu modelo de destruição fashion e sua pouca desenvoltura no quesito atuação, como a parceira de Eli e ex-detenta de Carnegie, Solara. Além, é claro, dos tradicionais merchandisings descarados que compõem estes filmes, afinal, algumas marcas são como baratas: sobrevivem a qualquer tragédia.

Uma recomendação: quem for assistir, não esqueça do guaraná, para ajudar a driblar o sono, já que os pouco mais de 110 minutos do filme arrastam-se e aparentam ter três horas... a mais.

Trailer:

(The Book of Eli, EUA, 118 minutos, 2010)
Dir.: Albert Hugues e Allen Hugues
Com Denzel Washington e Gary Oldman

61 comentários:

Tiago Magaldi disse...

Meu amigo, falou e disse. Barba, cabelo e bigode. Raramente comento em blogs, mas acabei de assitir o filme e a mesma pergunta me martela na cabeça: como um filme pode ser tão ruim? Tudo é terrível. Tudo é clichê, o estilo mendigo-fashion é inacreditável, aqueles motoqueiros inspirados em Mad Max e Waterworld são... são... sei lá. Terrível. E ainda li em outros lugares que esse é um filme candidato a ícone cult... peloamordedeus. Não sei se nego é muito vendido ou muito tapado, ou os dois. Dormi no filme no meio daquelas cenas em câmera lenta do Denzel sacudindo a poeira do sobretudo. Enfim, tudo me lembrou eu sou a lenda, o que por si só ja mostra o nível do filme.

Abraços!

Tiago Magaldi disse...

Tem um outro também bastante parecido, esqueci o nome, com o Clive Owen, que ele tem que salvar uma gestante de uma organização que quer utilizar o bebê para fins políticos. É melhorzinho, mas não se salva nem um pouco. Talvez eu reclame mais desses filmes porque gosto da idéia de se tentar retratar um mundo pós-apocalíptico. E o Einstein? Meu deus...

Mateus disse...

isso vai de gosto a gosto, não é por voce achou ruim que o filme é isso que voce falou, cada um gosta de um tipo de filme ou de um filme especifico antes de criticar não se esqueça que a sua opinião não é A verdade

Fred Burle disse...

Tiago, que bom que não fui só eu quem achou isso do filme. Li umas críticas que apontam pontos bons do filme, mas eu não consegui enxergar ponto bom nenhum. E pelo que percebi dos jornalistas e críticos da minha sessão, a opinião de que o filme é ruim foi generalizada.

Mateus, onde você leu esta passagem no meu texto, onde digo que minha opinião é 'A' verdade? Este é um blog de críticas e críticas são subjetivas, ou seja, implica o ponto de vista de uma única pessoa.

disse...

Porra gnt....haha...eu achei o filme legal dava um 7.0 para ele.

Eu li a critica i não entendi muito bem ela, acho qui simplismente vc não gostou do filme mesmo não é?!?!

Não gostei da critica, saiu meio debochada sei la...
Tenho gosto variado, e gostei do filme, mais acho qui por falta de alguns conhecimentos ou preconceitos a pessoa nem goste do filme.
então cada um com seu gosto, só to dando minha opnião.

Rafael disse...

Gente acho que cada um tem sim sua opinião so que tbm vamos concordar com o seguinte: vir falar que os motokeros estilo mad max é brincadeira. Agora é assim, todo filme é obrigado a fazer TUDO diferente do que os outros ja feitos.
E sobre o que o crítico flw sobre a biblia, parece que ele não concorda com o fato de alguns ignorantes (no caso do filme acho que quase todo mundo) podem sim ser dominados por palavras.
So pra se ter um exemplo vamos citar o caso do video que rolou no youtube sobre a autora de harry potter dizendo que era satanista. O video era mal feito, não tinha nenhuma fonte (tinha uma falsa de um jornal ingles que se for procurar num tem nada sobre o assunto) e os fanaticos religiosos acreditaram (num vo citar religião)
agora se voce tem uma religião onde tudo é do CAPETA e é ignorante voce vai acreditar nessa besteira.

disse...

hahahaha..
pois é Rafael...dei uma olhada sobre isso
essa do harry Potter...foi de matar em!?!?
nada ver uma coisa com a outra, xega a ser ridiculo!!
Coisa de ignorante,queria saber quem foi o imbecil qui fez aquela merda!!
hahaha
ridiculo!!
Nessas horas qui seu bom senso critico deve funcionar, si não vc cai numa merda dessa, i olha que tem gnt que cai!

Mais em questão, no começo do filme tbm fiquei meio indiguinado, mais depois fui ver o outro lado da moeda , hora bolas a biblia é um dos livros mais famosos qui existe, levam milhoẽs de pessoas a fazer cada coisa, você mesmo pode lembrar da epoca das cruzadas, um fato marcante na historia, que quase todos conhecem e sabem como ela ocorreu!

E se vc analisar, nessa epoca das cruzadas o quanto que tinha de ignorantes, não é!? não venha me dizer que não!
E no filme mostra um lugar, pós-apocalitico, onde o desespero e miséria reinam, e lembro do fato de que ninguem praticamente sabia ler, só o "vilão" do filme tinha conhecimento, de que, quem portace a biblia poderia usavala para manipular qualquer um ignorante, usando por parte da biblia para concretizar seus desejos, pelo que eu mi lembre, ele queria o dominio sobre as pessoas.
Amigo, não sou nenhum radical religioso i tals,não tenho preconceito, só vejo sempre os 2 lados da moeda, e a historia do que si tratava nesse filme, mi chamou a atenção , por varios outros conhecimentos meus qui ja tinha, é uma questão de, entender oque o filme quer transmitir.
E rafael não é questão de "dominio da palavra" somente, eu vejo muito mais que isso, se hoje em dia ja existe uma grande necessidade das pessoas, elas agarram as palavras biblicas a qualquer custo, imagina em um lugar como aquele pós-apocalitico punk hardcore(haha mad max), hahahaha.

Eu gostei do filme, foi uma surpresa, agora só porque existem pessoas ignorantes, que usam Deus i tudo mais, fala que tudo é do capeta, eu vou "ser ignorante" de não ver e analisar um pouco este filme, não né!

Só acho isso, foi um filme de bom gosto, que achei que iria agradar tanto gregos e troianos, hehe, + pelo jeito não ti agradou, né seu troiano..haha...zuera....

+ então pensei um poco +
e daria nota 7.3 para o filme..hahaha

ah..

(obs)
i cade critica do guerra ao terror!?
eu assisti pelo youtube na epoca,hahha
só para vcs verem o quanto desconsideram o filme.
mereceu o oscar!

Guerra ao terror nota 9.6
Avatar nota 8.3

Fred Burle disse...

Zé, não é porque não gostei do filme que preciso ser agressivo com ele, por isso uso de bom humor, que por consequência, tem um toque de deboche. Não gostar do filme não significa falta de conhecimentos ou preconceitos, pelo contrário. Como você disse, cada um tem sua opinião. Quanto ao seu segundo comentário, cuidado com o palavreado. Não é necessário agredir para expor sua opinião. E quanto ao seu último parágrafo, não sei se você dirigiu-se a mim ou ao Rafael, pois aqui neste blog você não irá mesmo encontrar crítica dele sobre o Guerra ao Terror, afinal, o blog é do Fred Burle. Se foi dirigido a mim, as crítica escrita e filmada podem ser encontradas na barra lateral.

Rafael, não falei nada sobre a Bíblia, apenas referi-me ao fato de o filme utilizá-la de forma batida. Não que haja a necessidade de ser sempre original, mas quando se usa algo que já foi tão discutido, é preciso fazê-lo com um mínimo de competência e isso, para mim, não foi feito. Eu esperava no mínimo nota 7 para este filme, mas infelizmente sua execução não passou de 2,5. Para mim, é claro.

Abraços para os dois.

Otávio disse...

Meu querido crítico, sinto que muitos como você estão indignados pelo filme The book of Eli; e eu analisando tanto dentro do cinema como fora pude constatar 2 tipos de pessoas das quais não gostaram do filme, mulheres e homens: Mulheres por conterem "muitas" cenas de violência e os homens por conterem pouco sangue. Percebi isso após miseras 7 vezes das quais assisti ao filme, sim, 2 vezes não, 7 vezes. E te digo mais, comparar este filme com o excelente Fahrenheit 451 é "dar um tiro no pé", é dizer que você ou não assitiu o Livro de Eli ou você não leu o "451", pois ambas obras tratam de livros mas com situações diversas; Exemplo: Fahrenheit é proibido ler, obter obras, cultura, etc (você poderia até fazer esse tipinho de comentário, óbvio, para o filme Equilibrium, mas para este não), no "O livro de Eli" não há uma proibição a leitura ou arte nem muito menos se queimam livros para que tais não sejam lidos, blá blá blá, e sim há uma busca EMINENTE para que seja manipulada informações bíblicas. Diante de tais comentários como os o que fiz você pode até dizer: Otávio meu "caro", mas não foi por isso que não gostei, e sim pelo curriqueiro fato de enfatizarem o fato da "a Bíblia salve, amém" principalmente em épocas como a nossa de guerras, casos de pedofilia dentro e fora da igreja, ou o aquecimento global, tralalá tralalá, tralalá... E eu te digo, todos tem o direito de "estar inseridos dentro de um contexto hitórico", ontem o código Da Vinci, hoje é a vez de Eli, não podemos esperar de Hollywood que façam filmes que nos agradam sempre, nem podemos exigir muito deles pois eles que dão as cartas em que devemos assitir, ou melhor ao qual devemos assistir, até por que isso também é culpa nossa, pois apartir do momento que parármos de assistir filmes americanos pode ser que um dia nosso cinema tenha um pouco mais de força lá fora. Agora minha última consideração, para que você se livre da pessoa chata que sou; Comparar o Denzel Washington com o Will Smith?!!!!!! Pelo belo e selestial manto sagrado, faz isso não, Denzel é um Puta ator o cara passa emoção, já o Will toda vez que eu assisto a um filme com ele paro alguns segundo pensando: Ué estou assistindo a seriado Um maluco no pedaço? O cara tem as mesmas expressões sempre, tipo: Meu tio Phill me pegou no flagra; logo compara-los e o mesmo que dizer: Não prestei atenção no filme.
Então meu querido lhe aconselho assistir de novo ao filme mas sem a intensão de carnificina ou que vá ter um anti-cristo rebelde para salvar o mundo.
Desde já foi um prazer comentar este filme!

PS: contatos otaviobittencourt@yahoo.com.br

Que comentario mequetrefe disse...

é engraçado, um filme do herry poter(sei la se é assim que escreve) que so fala sobre magia e porcarias diversas, quase todo mundo gosta, mais um que tem parabolas da biblia ficam metendo o pau. é por isso que a sociedade esta virada e a familia se acabando.

Anônimo disse...

BOom...
Confesso que fui ver o filme com um pouco de despeito porém como era a única sessão que me permitia assisti no exato horário e dia, fuii.. um pouco degostosa, mas fui!
O incrivel foi que sai da sala do cimena.. simplesmente SATISFEITA e ORGULHOSA e APAXONADA e não podia deixar de dizer: envergonha pelo descaso anterior!
Começei a ler a crítica no blog e fui até o final.. já quanto aos comentário .. li alguns!!
Assim, ponto de vista.
O filme é para ser apreciado em todos os sentidos. Primeiro vc não tem que ver o cenário as roupas (...) se vc consegue entender o conteúdo da mensagem que ele pode lhe transmiti isso basta.
Uma simples parte do filme diz muito. algo parecido com isso: " havia abundância dessas coisas hoje qualque um mataria para tê-las".
Ollha a essencia do filme: discuti a Biblia.. primeiro tem que ter coragem em comenta-la e principalmente em critica-la.
Boom vou me abstater por akii.. afinal para quem fala do códido da vinci.. não poderia compreender coisas mais sensatas.
Só lembradoo.. não vamos pensando que o mundo será um mar de rosas.. para sempre estamos presenciado mudanças bruscas no meio ambiente isso só é o começo... conseguências de pessoas ignorantes que não sabem o que fazem. e ignorantes que não imaginam de onde venha a voz que Eli ouviu!

Fred Burle disse...

Amém!

Vitor disse...

Amém! mesmo Fred. Li também outras críticas antes de me decidir assistir este filme no cinema ou em uma "sessão da tarde" em casa mesmo.
Bom, não consegui captar muito humor (que em um comentário acima você sugeriu ter usado) na sua crítica e como ao que parece outras pessoas também não, então, acho que não foi porque eu não seja capaz de compreender o seu humor. Talvez seja interessante utilizar mais humor na próxima, meio que ficou parecendo que você simplesmente não gostou do filme e só.

Contudo, li um comentário tão fantástico logo acima que por ele me decidi assistir ao filme. Se um simples filme de apelo puramente entretivo consegue inspirar alguém a "ouvir a voz que Eli ouviu!" então vou logo assistir essa po%$@ antes de 2012, quem sabe eu consiga a salvação!

Isso para mim é um forte indício de como o tipo de argumento utilizado no filme sempre irá arrastar um rebanho(?) a interpetrar as coisas de uma maneira muito peculiar, mesmo que o argumento digo o contário do que foi interpretado. Nem eu entendi o que eu escrevi neste últmo parágrafo, por que você entenderia? Sendo assim. Amém!

isaias disse...

O MELHOR FILME QUE VI NO CINEMA!!!
Opiniões de ateus e cépticos, são as que já se esperavam... Sempre a mesma coisa. Nem comento...
Só fico a pensar como é que um elenco como este (tirando o Denzel) criou uma história com mensagem tão rica! Conseguiram mostrar o valor da Palavra de Deus, menosprezando os hereges (Da Vinci's e Oprah's...).
Apenas pesquisei sobre os produtores e o argumentista e não vi nada que os ligasse ao cristianismo!
Apeteceu-me dar glórias no meio do filme mas tive que respeitar as pessoas. Mas no final do filme, aplaudi.
Fez-me despertar em como os cristãos têm de ser mais firmes...
Muito inspirador!

isaias disse...

Ahh!!!
Afinal o Denzel também participou como produtor neste filme... Já explica melhor donde veio essa inspiração em matéria bíblica...

disse...

aahhhh...complicado...tem os ateus que num curtiram o filme porque envolve a biblia, e tem os religiosos ai que gostam do filme porque envolve a biblia de uma forma positiva ¬¬'

ninguem merece em!!
critica hoje em dia ta feia, por isso que quase Avatar ganho o Oscar..

hahahahaha

Anônimo disse...

Pois é, hoje existe uma industria de filmes pós apocalipticos, e a imagem de mundo presente em o livro de Eli é a pregada por quase todos os filmes neste estilo, variando apenas o objetivo principal do protagonista, tentar retratar essa realidade é algo abstrato e fazer critica destrutiva sobre como deveria ou não ser cenários e figurino é algo um tanto quanto surreal, o filme dá pistas sobre o porque o cenário é este: 30 anos depois de uma devastação total, luta por água e por comida, degradação de relações de humanidade, destruição natural .... estes são alguns pontos que justificam roupas esfarradas, muita poeira .... se este cenário é o mesmo de madmax ou Eu Sou a Lenda, putz .... idaí. Alguns gostam de Star Trek e acham o maximo aquela papagaiada todas depois do fim da terra.
É um erro criticar usando comparações e usando gostos pessoais, fizeram comparações com outros filmes e até com Denzel e Will Smith, essa última comparação nem vou comentar por que é demais, são bons atores pra filmes diferentes, o Denzel é um ator que transmite emoção forte e se encaixa bem em varios generos as vezes até surpreendendo fazendo coisas que seu público nunca imaginaria, já o Will faz bem filmes que precisam de menos emoção com uma pitada de humor.
Apesar de ir contra a maioria achei que valeu a pena ver o filme, não é o melhor pós apocaliptico que já ví, mais fiquei feliz com a abordagem religiosa que muitos evitam mais é um dos pilares da educação e formação das relações humanas e nunca tinha visto ser abordada em filmes dessa natureza simplesmente esquecem, Denzel veste bem em personagens focados, com objetivos claros quase neoróticos por sua causa, seu semblante calmo contrasta muito com as cenas de violência, achei que podiam ter explorado mais a emoção do personagem e apelado mais paras versiculos biblicos justificando alguem que passou 30 anos lendo um livro, Minha nota é pro filme é 7,5

Eugênio Bruno disse...

O filme é bom. Claro que usa de muitos cliches batidos, mas o enredo consegue levar o filme muito bem até o final.

Uma coisa eu tenho certeza: se o filme falasse de outro livro que não fosse a bíblia, talvez as críticas teriam sido bem menos negativas... A Bíblia não tem esse apelo cult para ganhar os críticos de cinema "profissionais" (com muitas aspas!) que estão de plantão.

Rodrigo Nogueira disse...

Olá meu amigo Fred!

Apesar de não achar esse filme nenhum primor, dessa vez discordo quase que completamente de seu artigo. Convido vc a dar uma lida em meu artigo sobre esse filme, quem sabe para fazer um contraponto?

Independentemente do filme ser bom ou ruim, acho que ele dá bastante pano para um bom debate!

Abç!

Fred Burle disse...

Rodrigo, lerei o seu post sobre o filme, mas você já reparou no calhamaço de comentários que tive responder sobre ele e a polêmica que isso gerou? Para um filme que não gostei nem um pouco, já desperdicei tempo suficiente com ele...
Deixe eu ler o que você escreveu...

Anônimo disse...

Olá Fred Burle.
Tudo bem?
Desejo que sim!
A Paz de Jesus Cristo esteja com você!

Dê uma boa olhada e com todo cuidado em sua palma da mão.
Vire e dê uma boa olhada e também com todo cuidado nas costas de sua mão.

Agora descreva aqui no seu blog o que viu!

Anônimo disse...

Bom dia! Não querendo ser rude (de verdade) e não querendo derrubar sua crítica, creio que faltou uma análise mais apropriada do filme.

Quando assisti o filme, entendi alguns sentidos em que podemos meditar, seja cristão, budista, espírita, ateu etc. A grande verdade que o filme pode passar atinge várias religiões e ao mesmo tempo manter-se firme no ateísmo. Como assim? Fácil, reparem que o Carniege não demonstra ser um "cristão", ele apenas quer o livro para controlar as pessoas, sabendo que a religião em toda a história da humanidade sempre controlou o "povo", tornando assim uma arma para qualquer um que a possua.

Eli (cujo nome significa ELEVADÍSSIMO - relativo a elevado) já tem uma conotação religiosa, não meramente artificial como Carniege interpreta.

Existem várias e várias nuances interessantes, que não dá para tratar aqui, mas concordo quando analisamos o sentido pós-apocaliptico do filme e ver que a escassez naqueles tempos vindouros é um tapa na nossa cara quanto à vida muitas vezes mesquinhas que levamos, confundindo luxo com o necessário...

Enfim, não quero aborrecê-los mais do que a paciência de vocês permite, por isso paro por aqui dizendo que deveras gostei do filme e, concordando com a posição de que ele está próximo a uma linha "cult" vista em outros grandes filmes do gênero.

Abraços a todos!

Fã de Bart Ehrman disse...

Nunca vi um filme tão ruim.
Primeiro ,o cara passa 30 anos, sabe matar igual ninguém ( e matar pela Bíblia, no filme, é justificado), vive se virando pra sobreviver e sempre lendo o livro, mas é cego!
E, sendo cego, consegue matar, mas não consegue rescrever o livro, pq é mais fácil achar balas do que papel, neste mundo apocalíptico! Só indo pro Oeste é que o livro vai ser reescrito.
E, estranho, este livro tem um poder, mas com certeza não é o de modificar corações, pq o cara do mal deseja o livro porque o livro é uma "arma"!!!
(bom, nesta parte eu até concordo, a Bíblia é sempre manipulada por espertalhões que querem incutir o medo pra poder vender a salvação...)
E a Bíblia do Rei James é "A Bíblia" e o mito da inerrância da Bíblia está no filme...
E finalizando, reescrevo uma parte da entrevista de Bart Ehrman:
"Desde quando a Bíblia começou a ser questionada? De que maneira isso enfraquece a Cristandade?

Bart Ehrman – As pessoas só começaram a notar essas diferenças na época do Iluminismo, no século XVIII. Antes disso, os estudioso da Bíblia eram teologicamente comprometidos com ela e não imaginavam que poderia haver erros. Essas descobertas são problemáticas especialmente para quem acredita que a Bíblia foi entregue a nós diretamente por Deus. Se isso ocorreu, por que não temos a Bíblia original? Por que temos apenas manuscritos escritos mais tarde e que não são iguais? Essas diferenças mostram que não existe um livro com inspiração divina que foi entregue a nós."

Jão disse...

Como dizia o poeta, opinião é igual orifício anal, não é mesmo? Eu gostei do filme, particularmente. Ele tem certos nuances, detalhes que, se você não reparar, realmente tiram a graça do filme. Gostei da mensagem, gostei das cenas de luta (que não apelam para aquele corte rápido típico), gostei muito da história (talvez por amar filmes pós-apocalípitcos). O fato é que o filme é bem feito, conexo, e fiquei entretido com ele. Afinal, pra que serve o cinema, não é mesmo? Abraços!

Lobresco Shaft disse...

Pelo visto esse "Fã de Bart Ehrman" sequer entendeu a mesagem do filmes.
Sim, ele vivia lendo o livro e era cego, mas o livro era em braile, aí está a beleza.
Ele se dava bem por que era protegido pelo poder divino, como portador da palavra.
Isso explicar a alta habilidade dele com os sons.
Acorda, cara, se ele é cego ele não sabe escrever. Não dá pra escrever em braile com um papel normal, aliás.. cegos só aprender a ler braile, quem "escreve" em braile é a maquina, amigo.
Também quis mostrar que os que visam utilizar a palavra para manipular o povo e conseguir poder serão falhos em seu objetivo.

Não ter entendido um filme simples desses só mostra sua ignorancia.

Anônimo disse...

O filme me inpactou muito! Me fez refletir como o mundo está egoísta e como nossos corações são cheios de vaidade e coisas fúteis. Quando acabei de ver o filme pensei como muita gente não iria entender nada da mensagem, mas isso não importa! Talvez em uma outra oportunidade...

Anônimo disse...

Será que eu sou o único maluco que viu uma forte crítica velada ao cristianismo e às religiões em geral neste filme? Veja que Eli executa barbaramente um ser indefeso logo no começo do filme, deixa de ajudar aos fracos e oprimidos logo em seguida, "cego" que estava por sua fé. Em seguida, fica claro que a bíblia serve de instrumento de dominação dos povos e, ao final, no único lugar seguro da terra (o paraíso), o que dominava era a razão humana, já que na biblioteca não tinha bíblia alguma. E convenhamos, o fato só mesmo alguém cego de fé para não "mandar bala" na Mila Kunis depois de 30 invernos sem mulher, rs.

Anônimo disse...

Sou fã de D.W. e vi "o livro de eli" umas 10 vezes ou +... Nota 10 p/ o filme. Gostei muito da mensagem passada, só naum gostei muito da cena na qual o antagonista (carnegie) manda queimar sempre uma pilha de livros.Eu entendi todo o filme bem como essa cena, mas teve gente que não ENTENDEU. Pois numa igreja que frequento, certo dia, o "orador da vez" deu uma palestra sobre o filme O LIVRO DE ELI , e o mesmo não entendeu a cena, bem como não entendera uma boa parte do filme. Pois ele "o orador da vez" disse que somente a bíblia salva a humanidade e que todos os demais livros deveriam SIM SER QUEIMADOS!!!TODO LIVRO TEM SUA IMPORTÂNCIA, TEM SEU CONTEÚDO E SEUS LEITORES. Então deveriamos voltar ao tempo da INQUISIÇÃO???Ou será do incendio da biblioteca de Alexandria? Que criaturazinha IGNORANTE e é pq é metido em peças teatrais...Enfim pérolas aos porcos...

Marcello disse...

Gostei do filme e discordo completamente da crítica, e pelo jeito deve detestar o gênero ficção científica e portanto nem deveria criticar se não gosta não assista. O filme prende a atenção até o fim ótimo filme, assim como Eu sou a lenda que é uma refilmegem e ficou muito boa tb, suas comparações são bem ruins. O Livro de Eli talvez vire um Cult. Abraço

Anônimo disse...

galera tira uma dúvida minha...ele é cego ou naum é??????

Anônimo disse...

Bem...
eu achei o filme um pouco cansativo msm...
e como disse um dos comentários ai de cima.
Fica claro o poder da bíblia sobre as pessoas. Pois sem ela há desordem. A população tem que ter algo em que acreditar para o mundo não ser do jeito que o filme mostra.

disse...

Ele é cego sim, cegueta!
O filme é foda que mostro claramente o "poder da biblia" nas pessoas, e ainda mais no filme, que era uma epoca remota, de muitas necessidades.
E é verdade mesmo, vc conhece alguem pobre, cheio de necessidades que não seja um cristão ou religioso?

Rudi disse...

Peço permição ao Fred para direcioná-los a uma crítica extraída do seguinte endereço, caso tenham interesse:

http://www.pulpitocristao.com/2010/06/o-livro-de-eli-fronteira-entre-defesa.html

Parte da crítica:

Os fatos narrados servem para ilustrar o quanto o protagonista do filme, embora muito diferente de Cristo, se assemelha aos cristãos. É claro que Jesus foi pacífico e pacificador, e jamais insinuou uma revolução pela força. Seu plano de dominação do mundo se daria através do amor: “Assim conhecerão que vocês são meus discípulos; se vos amarem uns aos outros” (João 13.35, paráfrase). Ele nos convidou a julgar e a discernir, mas jamais conclamou seus servos a matarem em seu nome. A fé cristã não deve produzir mortes, mas gerar vidas.

Parte da crítica: O Livro de Eli é um retrato do passado da nossa fé, e nos permite reavaliar o presente afim de não construir nossa defesa sobre o cimento do ódio e das vaidades pessoais. Penso que a análise do filme é válida para fazer-nos repensar nosso trabalho, nossa paixão e pregação, pois de outro modo corremos o risco de matar em nome da vida.

Anônimo disse...

meu no eh Bruno Sodré

digo porque isso eh a verdade q vai acontece o fim do mundo
ser voces pararem pra le o livro de apocalipice la vcs vao ve que tudo esta escrito..
q esse filme passa a ser um marco em sua vida para busca a Deus cada dia mais, apredendo q Deus deu o seu filho por todo nos, porque o dia do jugamento esta proximo e Deus vai faz oq esta escrito.
entao arrepende dos seu pecados e busque a presença de Deus eh suas vidas
porque so ele vai salva vcs da ira do ultimo dias
e naum adianta fala q naum tinha visto Deus fala contigo
porque varias veses Ele tem c levatado pra i ate vc e pedi q vc vem aceita Jesus com salvado da tua vida, por ele morreu por vc

le ia matheus 25

abraço eh fika com DEUSSSSSS!!!!

disse...

Bruno Sodré,
Ahhhh vai ti cata ta o alienado, vai estuda e fazer alguma coisa para o bem da humanidade, do que ficar pensando no fim do mundo e bla bla bla, tenho certeza que vc é mais um que ta de braços cruzados e só pensa em ir na igreja todos os dias para salvar a propia "alma" né seu sem vergonha!
Toma juizo rapa!
O filme foi otimo, mas é apenas um filme, agora se ele atiçou sua imaginação, peninha, vc ta precisando amadurecer um pouco mais.

Lucas disse...

Discordo da sua crítica.
O filme é bom...em seu gênero.
Em nenhum momento Eli é o salvador do mundo...só está levando um livro para o Oeste nada mais.
Nota-se que num tempo apocalíptico ele se apegou afé para sobrevier apenas isso.
O que você falou sobre ele ser o salvador do mundo..não condiz com a realidade do filme. Nme le acha que é.
Acho que o senhor ficou nervosinho por VER que Eli era cego só nim fim da trama.

Yazaby Pedaja disse...

primeiro minha intenção aqui é falar um pouco do filme em termos biblicos.
segundo não sou praticante de religião alguma mas leio a biblia a absorvo suas otimas mensagens.
bem... devo dizer que para melhor compreensão do filme (que não é tão dificil assim)é preciso ter uma visão religiosa para melhor absorção das mensagens ali transmitidas.(vale salientar que não sou evangelico, fanatico, catolico, protestante, espirita e ETC.) Mas voltando ao assunto; por que uma visão religiosa? me refiro aos conhecimentos biblicos, so pelo fato de que as criticas feitas apos assistirem o filme não soarão de forma LEIGA, mas sim de forma inteligente e sabia. (Retificando o adjetivo acima Deixo bem claro na "minha opinião" de que a Biblia não é o unico meio de se conseguir sabedoria ou seja não me deixo Bitolar, alienar ETC.. mas vale salientar que a biblia é tão edificante que qualquer Dan Brownsinho se torna um menino curioso!! apenas leio-a por interesse propio sem falar que acredito em deus! nos não estamos aqui por acaso.) voltando novamente ao assunto, Gostei muito do filme tem tudo para se tornar cult daqui a alguns anos a frente como o mad max, blade runner, Akira entre outros! por ser um filme que deixa pontos a serem discutidos. quer uma cena a ser discutida!? aquela cena em que ele mostra as mãos ao balconista do brexo e do bar. alguem sabe explcar? é isso meu caro aquela parte é um lance bem biblico retratado no livro do apocalipse, não só como o filme inteiro que retrata passagens finais da "grande tribulação"! alguem sabe o que é isso da uma olhada em Mateus 24 ver 3 ao 14 (não estou profetizando, evangelizando oque seja! so apenas mostrando que o produtor do filme nada mais nada menos é um grande leitor da biblia, e obiviamente crente em deus! nada contra isso claro!) quer saber o que o proposito de Eli tem haver com o que esta escrito na biblia da uma lida em Apocalipse 11 ver 3 ao 6. pra quem leu ou ja sabe, pode se ver que a companheira de jornada de eli se torna a segunda testemunha! pode se concluir claramente por que Eli vem a matar. resumindo mais um papel foda p D.W e como ja disse antes é um otimo filme não pelas lutas ou se quer enredo mas pelas mensagens ali transmitidas. um abraço a todos !

guel disse...

OLA AMIGOS! ESTE FILME E UM ALERTA PARA TODOS NOIS.

Fabrício disse...

Vou expressar minha opinião de anti-religioso e de alguém que assiste a filmes pós-apocalípticos desde mad max.
1) Mad Max foi o 1º filme (ou um dos primeiros)deste tipo a ser lançado, e tornou-se um ícone. Qualquer filme após este, irá fazer alguma referencia ao mesmo. Já vi filmes muito toscos onde baratas indestrutíveis atacavam seres humanos e os devoravam vivos (este sim era um filme ruim). Ou seres humanos que se tornam monstros super fortes comedores de humanos,ou mesmo filmes onde todos os seres vivos se tornam zumbis famintos cujo único desejo e emoção é a fome, e que quando acaba o estoque de comida viva eles não se atacam mutuamente.
2) Não sou religioso, e, aliás, sou anti-religioso. Não é que não acredite em deus, mas não acredito em nenhuma religião, todas pregam que é delas a verdade e que as demais estão erradas. E todas querem a submissão total de seus discipulos para na verdade exercer sobre eles um controle e manipulá-los a seu bel prazer.
3) O filme possui pouca ou muita violência? Isso não importa! O que importa é a historia que compõe o cenário, o chamado "pano de fundo", um filme mal produzido com uma história com profundidade e coerente se torna um bom filme, um filme bem produzido sem uma história coerente ou sem profundidade torna-se um filme ruim.
4) Meu conselho é que ao invés de ficar notando clichês, quantidade de cenas de ação e derramamento de sangue, explosões e etc. você preste mais atenção na história por trás da história, aprenda a ver e interpretar o "pano de fundo" e ai sim você saberá que o filme é bom ou não.
Continua abaixo

Anônimo disse...

Olá, meu nome é Marcus.
gostei do filme e pra mim não teve duração de 3 horas como se fosse entediante assisti-lo. E falo nisso não cosiderando se acredito ou não em Deus e no apocalipse, nem pelo fato de que o filme aborda ou não temática religiosa. O filme tem um enredo interessante e exige de quem o assiste um pouco de suas mentes. É interessante também esse certo mistério que o filme tem. Claro que tem coisas que não gostei no filme.

jfg_rio disse...

Gostei do filme, achei que todos iam gostar, mas pelo visto ele não agradou a todos. O enredo do filme é espetacular, e não um "sem-pé-nem-cabeça" como foi Eu Sou A Lenda, o personagem tem uma razão de ser, a FÉ. Fé essa que nos faz acordar todo dia pra ir trabalhar e acreditar que estará de volta em casa à noite. A direção é um show a parte, mostra pontos de vista intrigantes de ação.
Não é um filme que muda a vida de alguém, mas é sim um filme que nos faz pensar. Pra mim, um filme que me faz pensar, é um ótimo filme. Só pelo fato de levantar esses questionamentos discutidos aki, eu acredito que seja um filme bom. Se o filme não tivesse enredo, como vc descreveu na sua crítica, não ter tanta discussão aqui.
É o que eu acho.

Anônimo disse...

The best of the best movie the all times!!!

ivan disse...

Um tanto quanto interessante. Oakley rulles...!!!

Rebeca's Adventure disse...

Olá, sinceramente não achei interessante a critica, acho que por traz deve ser visto qual a verdadeira mensagem, para mim dar valor as coisas simples é algo de extrema importância, principalmente dar valor a bíblia que para mim tem muito influência em todos, mas não nos dar o poder de controlar ninguém pelo livre arbitro e isso também foi mencionado. Bom esse filme tem uma ótima lição... Na minha opinião é claro
Boa Noite ;-)

Madalena França disse...

Foi uns dos melhores filmes que ja vi...... Incrivel.... não dormir.... neste filme percebi.... como a fé move montalhas..... valeu....Quem não gostou realmente não sabe a verdadeira importancia da Biblia.... e o que ela realmente significa para a humanidade.....QUE DEUS SEJA LOUVADO......

Anônimo disse...

Muito, muito, muito ruim... Visualmente, o filme é bonitinho, mas é zero em questão de conteúdo... A Bíblia como chave para reconstrução do mundo? Por favor... A impressão que tenho é que o roteirista teve preguiça de criar algo mais complexo (e completo) e deixou a história assim, pela metade, com a falta de sentido sendo um pretexto para, justamente, tentar colocar algum sentido na história... Em resumo: MUITO RUIM! Superficial, ingênuo e pretensioso...

Lena disse...

Gostei do filme.. ele incomodou.. e mtos filmes aclamados nao fazem isso. Na parte em que ele mostra o escambo, faz pensar que aquilo que damos valor depende de nossas necessidades e do quanto elas sao mutáveis. O livro em questão é um livro religioso, no caso, a Biblia Sagrada. Independente da fé de cada um de nós é historicamente comprovado poder da religião. Portanto, dizer q a Biblia ser o livro em questao é uma besteira, é sim dizer uma besteira. Basta ler história, principalmente a historia da Igreja Católica.. ou assistir a pregaçao de uma dessas igrejas emergentes, que levam uma multidão ao culto, todos hipnotizados pela palavra de Deus.. e pelas palavras de um padre ou pastor.. e olha que se fala cada m**** nesses cultos.. e o povo lá.. em transe. Submissos. (basta acessar o youtube p ver). portanto, o filme nnao me pareceu cristão, mas mostrou as diferentes formas de fazer e viver religião. basta um olhar mais atento, tentando um pouco de imparcialidade, ou pelo menos, abrir o angulo de visao para todas as possibilidades de interpretaçao..

Anônimo disse...

bom filme. quanto aos criticos, ha são criticos né. o que é bom pra mim e pra maioria da sociedade talvez nao tenha o mesmo valor pra uma visão tão refinada.

Anônimo disse...

Embora não seja cristão achei o filme interessante.
Um negro de nome Eli, pode ser o único emissário do legado cristão.
Posso imaginar que o título Livro de Eli, pretendia se referir a um evangelho apócrifo pós apocalítico, o que seria bem inventivo.
A referência do único exemplar da Bíblia estar em braille poderia ser uma metáfora não apenas da díficil leitura mas da sua compreensão, uma brincadeira com a hermenêutica dos textos bíblicos.
Ouvir vozes de um Deus, referência ao velho testamento.
Vozes que se referem ao Gênesis que se incia após o final dos tempos, um moto perpétuo do homem com criação divina.
A marcha para o Oeste como metáfora irônica da expansão americana, no início do século XIX. Invertendo a historicidade da marcha, afinal a civilidade é encontrada no Oeste e não no Leste.
Enfim foram alguns pontos que me chamaram a atenção.

Email marcelorogerio@msn.com

Anônimo disse...

Pessoas que não gostaram do filme, vcs realmente entenderam o filme? Prestaram atenção no final do filme? Sugiro que revejam Abs

Dinha disse...

A grande verdade é que os criticos nao gostaram por se tratar justamente da Biblia. se fosse, qualquer outro livro de maior importancia ou não, muito provavelmente as criticas seriam outras. Geralmente quem não gosta ''deste tipo de filme'', me refiro a livros que falem sobre a Biblia, é porque não acreditam ou ja estao de saco cheio de filmes que a cultuem, ou simplesmente porque não acreditam ou acham q é um livro sem importancia. Agora para aqueles que acreditam e/ou que sabem um pouco mais sobre o seu conteúdo , com certeza tiveram grande empatia e se identificaram muito.
Como eu sempre digo: cada um olha pelo lado que mais lhe convém.

abç a todos.

Fernando José Gomes disse...

Pessoas inteligentes e realmente alfabetisadas (repito: Pessoas realmente alfabetisadas),desde pelo menos a segunda metade do século XIX, não levam a sério nenhuma religião. As únicas excessões são os loucos e os charlatões, tipo o meio louco e meio charlatão George Bush, os loucamente alienados Papas João Paulo II e Bento III, os charlatões (e canastrões) Bispo Macedo, Malafaya e muitos outros loucos e/ou charlatões vivos e mortos. Friso que me refiro as religiões (meras criações da mente humana)e não a idéia de Deus (mas precisamente, a concepção de que o universo é obra de mentes com inteligência e poder espetacurlamente superiores, mas não necessariamente sobrenaturais) que é uma idéia intelectuamente válida e dá margem a profundos estudos filosóficos. Está sabiamente escrito na Bíblia (uma obra humana que é um dos maiores monumentos literários existentes)que se conhece uma árvore pelos frutos dela. A idéia da existência de seres superiores (que seriam responsáveis pela criação do universo e dariam aos homens mortais uma posterior vida eterna), a que os homens chamaram de deuses, nunca produziu, em si, frutos maus. Mas, ao contrário, as religiões são responsáveis por muito do que o ser humano fez de pior em sua história, sendo, portanto, os seus frutos basicamente maus.Em resumo, acreditar em Deus não causa mal algum, mas acreditar em religião cada vez mais vem se tornando perigoso até para o futuro da humanidade (vide fundamentalistas religiosos no poder, tais como George Bush e diversos outos dirigentes muçulmanos, judeus e cristãos.
Um filme é apenas um filme, por melhor que seja. Mas é muito engraçado ver pessoas religiosas elogiarem obras que na verdade "cutucam" a religião e/ou sacaneiam. Como tenho uma boa filmoteca, dou um sorriso maroto quando amigos e colegas religiosos me pedem emprestado filmes como os de Cecil B. De Mille (que gostava de misturar sexo e religião em seus filmes bíblicos e sobre o inicio do cristianismo, tais como OS DEZ MANDAMENTOS, O SINAL DA CRUZ, a primeira versão de O REI DOS REIS e SANSÃO E DALILA), BEN-HUR (francamente homosexual)e outros filmes, como o presente aqui abordado estrelado por Denzel Washington.
Falando do filme em si, me parece que é um daqueles filmes que não devemos nos precipitar em criticar. Devemos dar um tempo para que nossa mente o mastigue bem, para o digerir melhor mais tarde. Tanto podemos concluir que ele é apenas pretensioso e cheio de truques para parecer melhor do que é, como a maioria dos filmes do Aram Aranofsky (será´que consegui escrever o nome dele certo?, como podemos concluir que é um filme de valor. Vamos dar um tempo. é o melhor a fazer.
Um abraço a todos que tem amor pela vida em geral e pelas pessoas em particular,especialmente as que não se alienam e nem se escravisam por religiões e ideologias.

Anônimo disse...

acho que essas pessoas que estão criticando o filme devem ser ateus ou ignorantes, porque pra mim sinceramente o filme foi ótimo, mais sempre que aparece um filme falando de biblia, deus, religião, etc... sempre tem gente preconceituosa com esses tipos de filmes.

Anônimo disse...

Gostei da forma como o filme com muita sutileza mostrou o processo de transmissão e preservação da Bíblia desde as pregações de Jesus, as primeiras comunidades cristãs, até nossos dias. Um período intenso de oralidade se seguiu ao de cópias; isso se sucedeu durante séculos até a invenção da imprensa. E, independente da questão de religião ou fé, é inegágel a centralidade da Bíblia na formação da civilização ocidental, juntamente com toda a sua cultura. E tem um fundo de verdade, quando Carnegie diz que, de posse do livro, multidões viriam a ele e o mesmo expandiria seu império, porque foi exatamente isso que a Bíblia fez e continua fazendo. Acho que foi basicamente isso que o filme quis mostrar. Eu, particularmente, gostei do enfoque.

NilsonRabelo disse...

Àqueles que criticam o poder de influencia da Bíblia, respondam-me, sob quem a Igreja Católica se construiu e o império da IURD, senão sobre - deturpados é claro - os textos bíblicos?

Anônimo disse...

Pessoal,

Discordo da maioria dos comentários.
O personagem Eli representa, no filme, o 3. profeta Elias (Malaquias 4:6), que vem com a missão de resgatar a palavra de Deus após o Apocalipse, antes da vinda do Messias.

Somente um nerd cinéfilo (rato de locadora) que nunca frequentou um banco de igreja pode ter esta impressão tão pobre deste filme.

Assistam ao filme e estudem-no, vale a pena!!

rochamdf disse...

Quero aqui botar mais fogo na lenha da discussão!! He! He! Falando da crítica em sí esta foi demasiado subjetiva. Pelos comentários que se notam nesta sessão vê-se que a maioria dos leitores discordam da sua opinião e o que temos a favor é uma minoria ateísta e alguns tão maravilhados com seus conhecimentos egoísticos que não enxergam o que esta a frente do nariz!! O filme é bem dirigido e tem um ótimo roteiro! Se é assim então pq a critica do nosso amigo Fred pegou tão pesado com ele? Simples, o que e critica aqui não é a mensagem do filme, mas o ato de ter se atrevido a colocar a religião com bem salvador da humanidade e de se dar crédito ao poder que a bíblia traz. Pra quem não percebeu, onde reina a ignorância o conhecimento é poder! E qual poder mais devastador do que os grandes e poderosamente infinitos saberes da bíblia. Sou cristão mas adoro a imparcialidade, que não me venham julgar ao contrário. Pseudo-cinéfilos. Melhor frase dos comentários "Pérolas aos porcos"

Anônimo disse...

O livro é nota 10, é que vcs são burros, mas vamos lá...quando alguem viu o filme "Código da Vinci"...todos entenderam porque todos sabem a historia de da Vinci...o filme o "O livro de ELI" circula em torno de qual livro?! Num é a biblia?! Entao babacas pra entender o filme tem que saber da biblia...nao sabendo a biblia...vcs só conseguem perceber o que é aparente falando ai do cenario das vestimentas coisas óbvias que nem precisam de blog pra comentar...mas o contesto do filme vcs só vão entender sabendo a biblia...por outro lado sabendo a biblia vcs vao saber entender o filme que é de fato muito inteligente real e que tem um contexto, diferente do filme "Eu sou a Lenda" que se baseia em um virús idiota...pra comentar sobre filmes que são espirado em livros vcs devem ler o livro antes de se acharem bons o bastante pra dizer se é ruim ou bom...abraço

Anônimo disse...

Burros são vocês cristãos que são enganados ao longo de toda história e adoram falar merda. Já que gosta tanto daquele livreco, te recomendo ler EXODO 21,7-11, uma aula de moralidade cristã.

Anônimo disse...

coitado desse sujeito ai em cima, não sabe o que tá falando.

Anônimo disse...

ao postador de 30 DE MAIO DE 2012 03:02 nao me faça rir com sua pobre ignorancia, por acaso vc esta ciente da interpretaçao de exodo 21,7-11 ????? porque me pareceu q vc colocou um texto sem nexo e tem cara de que nao sabe o significado desse versiculo

Postar um comentário

Concordou com o que leu? Não concordou?
Comente! Importante: comentários ofensivos ou com palavras de baixo calão serão devidamente excluídos; e comentários anônimos serão lidos, talvez publicados, mas dificilmente respondidos.

 
Linkbão Oi Torpedo Click Jogos Online Rastreamento Correios Mundo Oi oitorpedo.com.br mundo oi torpedos mundo oi.com.br oi.com.br torpedo-online Tv Online torrent Resultado Dupla Sena Resultado Loteria Federal Resultado Loteca Resultado Lotofacil Resultado Lotogol Resultado Lotomania Resultado Mega-sena Resultado Quina Resultado Timemania baixa-facil Link-facil Resultado Loterias